Criar A Infraestrutura Analítica Do Projeto (EAP)

IG Colunistas - Mundo Do Vôlei, Por Aretha Martins Blog Sobre o assunto Voleibol


Ah, Tetê, amplo Tetê! Ouça seu novo cd e encontre o documentário sobre isso tua carreira. Por mim, não tinha teretetê. Hoje eu ficava só com Tetê, no maior auê, descrevendo todas as suas canções. Mas eu imagino e você sabe que há diversas vozes e sotaques pela diversidade da cidade. E a redação deste blog é um vasto salão com muito sarau, luau e o escambau desfilando pelo agendão. Tem Sander Mecca e Heartbreakers cantando Radiohead e tem o festival Brasilidades (da turma guerreira de Santos). https://henwood.kroogi.com/en/content/3639876-Como-Formar-Um-Site-Gratis-Em-Portugues-Passo-A-Passo-Guia-Completo.html , Tuia e Tavito.


Tem Blubell cantando Beatles, tem o sarau Feminino Eterno, o Senhoras Obscenas, o Cooperifa Especial, o Levante e o Gente de Palavra. http://vivermelhorebemblog76.fitnell.com/14749941/playstation-quatro-dourado-anunciado-e-vir-com-colet-nea-uncharted shows ‘Cambada’ (com Carol Naine e tchurma legal) e ‘Alma Brasileira’ (com o extenso violonista Newton Val). Tem os tambores e a voz de Fanta Konatê (pela Fundação Ema Klabin), tem Bláblablá com Lau Siqueira (pela Residência Amarela) e celebração do Peixe Barrigudo (em Guarulhos).



E ainda tem o Prêmio Profissionais da Música (em Brasília). Uma vez que é, amigos… Tá tudo ligado e perfeito no agendão com intenção de esse findi. Infinde-se nessas dicas e deleite-se delight-se delivery-se delivre-se. QUINTA-FEIRA - 19 de abril - 19h … Exibição do Curta-Metragem ‘Tetê’ - com debate … Documentário a respeito da carreira da cantora na 23ª edição do festival de cinema ‘É Tudo Verdade’.


Dirigido por Clara Lazarim, ‘Tetê’ explora o universo da artista Tetê Espindola, analisando seu serviço de pesquisa criativa - especialmente a potente ligação com a natureza como tema e fonte de inspiração. O filme transita livremente por diferentes épocas - da projeção nacional pop ao experimentalismo - pela tentativa de transcender o discurso histórico e carregar à tona a artista. No Sesc vinte e quatro de Maio, à rodovia 24 de Maio, 109. http://webmarketingeweb2.soup.io/post/659475179/Como-Colocar-Meu-Blog-No-Google franca (chegue antes para remover ingresso). Após a exposição, bate-papo com a cantora. Sempre fui muito fã de Tetê, desde seus primeiros movimentos com os músicos que formavam uma espécie de grupo que eu e meu colega Johnny (João Marques) chamávamos de ‘Pessoal do Pantanal’. Eu a acompanho desde os experimentalismos de ‘Tetê e o Lírio Selvagem’ e ‘Piraretã’ (que tem a atraente ‘Vida Cigana‘) até o merecido sucesso nacional com ‘Escrito nas Estrelas‘.



O disco ‘Pássaros pela Garganta‘, meu preferido eternamente, tem canções (e letras) incríveis como ‘Cunhataiporã‘, ‘Amor e Guavira’, ‘Cuiabá‘, ‘Fio de Cabelo’, ‘Longos Prazeres de Amor’ e ‘Sertão’, entre inúmeras pérolas. Sempre ouvi alguns famosos dizerem que tua voz era estridente demasiado. E a todo o momento amei essa sua voz única, tua técnica e presença solar. Do mesmo jeito sempre admirei teu violão e tua craviola.


Lembro de vê-la na primeira vez http://supersitesobrejovemgame850.fitnell.com/14751166/uma-maneira-acess-vel-de-obter-dinheiro , pela Funarte. Ela entrou, sentou num banquinho, sorriu, cumprimentou o público e nem fez um ‘rã-rã’ com o objetivo de limpar a garganta: entrou direto com teu timbre límpido e certeiro lá nas altas estratosferas de uma nota superaguda. Em 2017, Tetê lançou um disco formoso, melodioso e poético chamado ‘Outro Lugar’. Eu o ouvi, encantado, em uma outra tarde de domingo. Uma enorme artista atravessou meu domingo certa tarde nessa noutra e em todas as muitas imersões dimensões das tardes vividas lembradas sentidas na carneviva da pele arrepiada na vida. ’água cristalina suja de terra fértil solta salta grávida no ar. Noir, cor de fogo e morango.


Tetê que entusiasmo te ver novamente reouvir tão distanciado das ondas efêmeras do rádio tão dentro do infinito. Tetê essa onça verde fruta peixe essa musa asa pássara graviola essa craviola bonita como ela toca como canta. Sábado rolou mais uma edição superlegal do Sarau da Maria. O ponto grande da noite foi a apresentação de Fernando Cavallieri, que lançou seu cd “Modernidade Líquida”.


Que maravilhosas as tuas melodias… Foram tão aplaudidas que o sarau quase vira um show só com ele (show que vai sair, por isso que o Sarau acertar uma data com o Clube). Mas depois ainda vieram as ‘escritas’ e as levadas macias das canções de Rafa Alface. Vieram as poesias e as histórias de Lu Sousa e Rose Dorea, do Sarau da Cooperifa. E ainda mergulhamos nas águas de ‘Preamar‘, maré cheia de fantásticos poemas de Rudá Ventura e curtimos a projeção de um curta-metragem do Grupo Transformar.


No palco aberto, teve homenagem à Marielle e declamação dos poetas Jamir Nogueira, Lucas Scandura, Silvia Maria, Vasqs e Moises Donfleat. Na música, belas apresentações de O Zi Stafuzza & Cristina Pini, Vladinski & Cordeirovich, Deise Capelozza & João Emilio, Kita & Helen Torres e da Banda Gozi, com a participação de Speedy Victor, do grupo Zona Western. No fim, o cantor Carlos Bacellar deu um show de compreensão e ainda botou toda humanidade pra cantar sucessos de Antonio Marcos, ídolo da Jovem Guarda e seu colega de adolescência na Zona Leste.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *